3 passos para desenvolver a empatia

Relacionar-se bem não é tarefa fácil. E é através da empatia que somos capazes de colocar-nos na posição das outras pessoas para termos uma ligação mais profunda e verdadeira com elas.

23 OUT 2020 · Leitura: min.

PUBLICIDADE

3 passos para desenvolver a empatia

Frequentemente, ouvimos como a empatia é importante para melhorar nossa qualidade de vida e a relação com as outras pessoas. Mas, o que significa ser empático? A empatia pode ser definida como a capacidade de se colocar no lugar do outro, de perceber o que se sente a fim de estabelecer uma ligação profunda e verdadeira. É a capacidade de se identificar com alguém e partilhar os seus sentimentos. 

Os empáticos têm muita compaixão. Têm o dom da intuição, da profundidade e se preocupam realmente com os demais, Judith Orloff, psiquiatra

Em uma sociedade cada vez mais egoísta e competitiva,  infelizmente as pessoas estão a perder esta capacidade. É cada vez mais difícil reagir com empatia à dor dos outros. Todos estão preocupados com os seus problemas pessoais sem prestar a devida atenção às necessidades, sentimentos e problemas das outras pessoas. É cada um por si. 

Características de uma pessoa empática

As pessoas empáticas têm algumas características em comum: 

  • Não suportam a hipocrisia.
  • São curiosas e sonhadoras.
  • Estão sempre à procura de respostas para os problemas.
  • São silenciosas.
  • Sabem como ouvir.
  • São muito sensíveis ao ruído, ao discurso excessivo e aos cheiros.
  • São muito receptivas às emoções de outras pessoas.
  • Internalizam muito o que se passa à sua volta.
  • Normalmente são extrovertidos.
  • São reflexivas.

3 passos para ser mais empático

É importante destacar que a empatia não é um dom. Embora haja pessoas que naturalmente são mais empáticas que outras, ninguém nasce empático. Desenvolvemos esta capacidade ao longo da vida, com muita prática e esforço. Então, como podemos adquiri-la?

1. Escuta activa e atenta: saber ouvir é tão importante como saber comunicar-se

  • Não interromper o discurso da outra pessoa.
  • Não se distrair durante a conversa.
  • Adoptar uma postura corporal de interesse. Não cruzar os braços, olhar nos olhos.
  • Fazer perguntas pertinentes.
  • Ter um interesse real no que a pessoa está a dizer.

2. Evita dizer as frases clichés

Muitas vezes, quando alguém nos conta os seus problemas, dizemos coisas como "não se preocupe", "tudo vai funcionar", "não é assim tão ruim como parece", etc. Mesmo que a intenção seja tranquilizar a outra pessoa, estas frases são impessoais e o que elas fazem é impedir que ela desabafe porque cria uma distância na comunicação. 

Os conselhos que podem ser entendidos como um sermão ou como verdade absoluta também devem ser evitados. É melhor evitar frases como "o que acontece é...", "deveria fazer isso...".

Se não sabes o que dizer, melhor não dizer nada.  Não te esqueças que às vezes ouvir é a melhor ajuda que se pode dar. 

3. Tenta sentir e pensar como a outra pessoa

Este pode ser o ponto mais difícil, mas a única forma de desenvolver empatia é colocar-te realmente no lugar da outra pessoa. Temos o hábito de tirar conclusões sobre o que está a acontecer a outras pessoas com base nas nossas crenças, histórias de vida e expectativas. 

Contudo, para ser empático, é muito importante deixar de acreditar que os outros devem viver como nós e agir como achamos conveniente. 

Além disso, se o comportamento de alguém é irritante, pense no porquê. Se, por exemplo, o tey patrão vive stressado, busca entender o que o faz estar assim. Imagina como é viver a sua vida diária, como é liderar uma equipa, como é lidar com a acumulação de responsabilidades, etc. Este simples exercício pode te ajudar a ver essa relação de trabalho sob outra perspectiva. 

PUBLICIDADE

Psicólogos
Linkedin
Escrito por

MundoPsicologos.pt

Bibliografia

Claire Cain Miller, How to Be More Empathetic: https://www.nytimes.com/guides/year-of-living-better/how-to-be-more-empathetic

Daniel Goleman, Empatia; Actual Editora (2019). 

Kalpana Srivastava; R. C. Das, Empathy: Process of Adaptation And Change, Is It Trainable? https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC5248406/

Lishner DA, Batson CD, Huss E. Tenderness and Sympathy: Distinct Empathic Emotions Elicited By Different Forms of Need. Pers Soc Psychol Bull. 2011;37:614–25

Deixe o seu comentário

PUBLICIDADE