Crise existencial: o que fazer

Existem que pessoas que podem passar longos períodos questionando-se sobre o valor da sua existência e o sentido da sua vida. Como atuar numa situação de crise existencial?

26 OUT 2018 · Leitura: min.

PUBLICIDADE

Crise existencial: o que fazer

Toda a gente já deve ter usado a expressão "crise existencial". Pelos mais variados motivos, alguns mais sérios do que outros. Existem que pessoas que podem passar longos períodos questionando-se sobre o valor da sua existência e o sentido da sua vida. Como se pode agir não cair num ciclo de desesperança?

O que é afinal uma crise existencial?

Trata-se de um período no qual a pessoa se interroga sobre a sua função no mundo, qual o sentido da sua vida e se questiona, em situações mais extremas, se vale a pena viver.

Durante uma crise existencial a pessoa pode experenciar uma série de sentimentos e sensações que correspondem a esse permanente estado de dúvida. As mais comuns são:

  • Sentimento de infelicidade recorrente;
  • Sensação de fracasso face aos contratempos do dia-a-dia;
  • Desmotivação em relação a atividades quotidianas ou outras que antes eram fonte de prazer;
  • Desilusão perante si mesmo por não alcançar respostas profundas para as suas questões;
  • Sentimento generalizado de deceção.

Muitos destes sintomas e sensações podem resultar num ataque à autoestima, que se vê ameaçada por este sentimento de vertigem e desesperança.

criseexistencial-shutterstock-1092360326

Trata-se de uma crise de identidade?

Apesar de não ser exatamente a mesma coisa, uma crise existencial toca a crise de identidade em muitos pontos.

Na realidade, esta falta de confiança na existência pode ser reveladora de falta de autoestima, confiança de que se pode operar uma mudança ou realizar feitos de valor. Outras vezes revela a falta de uma meta, de objetivos concretos que se possam alcançar de forma a viver uma realização pessoal.

As crises existenciais também surgem quando a pessoa permanece em situações que não a satisfazem mas que, ao mesmo tempo, não conseguem tomar uma posição em relação a elas, seja por impossibilidades circunstanciais ou pessoais. São exemplo destas situações trabalhos onde a pessoa não se realiza ou reações afetivas que tendem a estagnar.

O que fazer perante uma crise existencial?

Tomar as rédeas da própria vida, sentir que toma uma decisão, mesmo que seja em pequenos passos é a principal forma de mudar o rumo de uma crise existencial.

Para dar este passo, existem algumas perguntas que, ao serem respondidas, dão pistas importantes sobre o rumo a seguir. São delas exemplo:

  • O que poderia fazer para mudar esta situação? O que está realmente ao meu alcance?
  • O que é que me poderia realmente preencher?
  • Quais seriam os prós e os contras de mudar de vida?
  • Será que estou em condições de mudar de trabalho?
  • Como posso fazer com que a minha relação amorosa não caia na estagnação?

Não obstante, é importante tomar atenção a todos os sinais que indiquem que talvez seja necessário o aconselhamento de um profissional.

PUBLICIDADE

Psicólogos
Linkedin
Escrito por

MundoPsicologos.pt

Bibliografia

Mockus, Antanas; Butėnaitė, Joana; Sondaitė, Jolanta, Components of Existential Crisis: A Theoretical Analysis: https://www.researchgate.net/publication/311002224_COMPONENTS_OF_EXISTENTIAL_CRISIS_A_THEORETICAL_ANALYSIS

Andrews, Mary, The Existencial Crisis: ps://dareassociation.org/bdev/bdb_archive/BDB_21.1-104-109.pdf

American Psychological Association, In Search of Meaning: https://www.apa.org/monitor/2018/10/cover-search-meaning

Deixe o seu comentário

PUBLICIDADE