Demos as boas vindas à geração Z

<strong>Artigo verificado</strong> por

Artigo verificado por Comité de MundoPsicologos

Nascidos entre 1994 e 2009, são uma geração de nativos digitais. Nasceram num mundo onde a informação é sempre acessível, por isso tornaram-se autodidatas e, ao mesmo tempo, criativos.

26 Nov 2018 · Leitura: min.
Demos as boas vindas à geração Z

Uma geração que procura a felicidade no trabalho, na aquisição de competências e no caminho que percorre ao mesmo tempo que vai atrás dos seus objetivos. O seu quotidiano é altamente mutável e está habituada a uma constante construção e mobilidade. Quais são, afinal, as características da Geração Z?

A Geração Z

Nasceram com um computador “no colo” e a sua visão do mundo inclui, desde sempre, o acesso quase ilimitado à informação que é facilmente encontrada na internet. Sendo assim, preferem muitas vezes optar por um percurso de aprendizagem autónomo, recorrendo a modelos flexíveis e inovadores, que abranjam diferentes áreas simultaneamente. Por isso, muitas vezes, optam por entrar no mercado de trabalho em vez de ingressar na Universidade e seguir um percurso académico.

Ainda mais digitais do que os millennials, pois estão expostos a esta tecnologia desde o nascimento, procuram tudo o que necessitam através de um click, quer se trate de informação, trabalho, ou outro tipo de bens. Por isso, os seus modelos educativos de eleição não são, de todo, os convencionais. Há aprendizagens que podem ser integradas num todo e conhecimentos que vão sendo adquiridos à medida que é sentida alguma necessidade ou paixão.

Este imediatismo, porém, pode resultar em perda das capacidades de memória e atenção, necessidade de obter um resultado imediato para as suas ações e, por conseguinte, falta de persistência e perseverança.

genz2.jpg

Educação e trabalho

Objetivos a longo prazo não fazem parte das metas da maior parte dos elementos desta geração. A consciência intrínseca da mutabilidade de um contexto acentua ainda mais esta característica. Assim, mais do que um fim, há um caminho a percorrer que se quer feliz, numa perspetiva de construção pessoal e de estabelecimento de relações sociais.

São pessoas muito flexíveis que se adaptam perfeitamente a ambientes multiculturais e globais. Para eles as hierarquias já não têm o mesmo significado e, mais importante do que estas, são as ideias, a criatividade e a busca de soluções inovadoras e eficazes.

Será que os sistemas laborais que existem neste momento vão conseguir acompanhar a dinâmica da Geração Z?

genz3.jpg

Psicólogos
Escrito por

MundoPsicologos.pt

Deixe o seu comentário