Depressão na terceira idade

Artigo verificado por Comité de MundoPsicologos

Ao mesmo tempo que aumenta a esperança média de vida, o papel dos idosos na sociedade tem vindo a perder relevância, o que pode, muitas vezes, estar na origem de casos de depressão.

26 Nov 2018 · Leitura: min.

Fala-se cada vez mais do envelhecimento da população. Ao mesmo tempo que aumenta a esperança média de vida, o papel dos idosos na sociedade tem vindo a perder relevância, o que pode, muitas vezes, estar na origem de casos de depressão. Na terceira idade pode ser difícil identificar os sintomas de depressão, pois estes podem ser confundidos com indicadores de outros problemas.

A passagem para a reforma nem sempre é pacífica e o facto de deixar de ter uma vida profissional ativa pode levar a uma série de reflexões que afetam a autoestima. Muitas vezes, um sentimento de falta de sentido no dia-a-dia pode inundar a pessoa que, de um momento para o outro, se vê com muito tempo livre que tem de ser preenchido.

Frequentemente este período é contemporâneo de fases mais ativas na vida dos familiares, nomeadamente dos filhos que, por isso, podem não ter o tempo que gostariam de ter disponível para estar com os seus familiares e amigos mais idosos.

Todo este panorama aliado ao facto de, com o avançar dos anos, a agilidade e as capacidades físicas se verem abaladas e, por outro lado, ao desaparecimento de familiares e amigos da mesma idade, faz com que a pessoa tenha de conviver, de uma forma bruscamente imposta pela vida, com uma série de perdas a vários níveis. Assim, o envelhecimento vem muitas vezes acompanhado de estados depressivos que podem ser mais ou menos fáceis de identificar e tratar.

Fatores de risco que podem desencadear o aparecimento de uma depressão

Apesar de ser extremamente importante a análise da história de cada paciente, existem alguns fatores que podem desencadear o aparecimento da depressão. Entre eles podemos encontrar:

·         Problemas físicos, doenças que limitem ou incapacitem a pessoa em diferentes graus de severidade;

·         Limitações económicas (muitas vezes depois da reforma podem surgir graves problemas financeiros);

·         Isolamento social (viuvez, perda de amigos próximos, afastamento da família).

terceiraidade2.jpg

Como identificar a depressão na terceira idade

Em grande parte dos casos, a queixa principal de quem vai a uma consulta não se relaciona com depressão mas sim com condições físicas que são sentidas, frequentemente, como mais graves do que são na realidade. No entanto existem sinais que podem dar pistas importantes para o diagnóstico da depressão no idoso:

·         Sentimentos de tristeza profunda que surgem diariamente e que estão presentes durante grande parte do dia;

·         Sentimento de desesperança, falta de sentido para a vida, sensação de vazio;

·         Perturbações de sono, nomeadamente insónias;

·         Falta de energia, cansaço generalizado, falta de vontade para realizar as atividades quotidianas ou que antes eram fonte de prazer;

·         Tendência para o isolamento, falta de contacto social;

·         Perturbações ao nível do apetite, perda acentuada de peso;

·         Pensamentos de morte recorrentes ou verbalização de falta de vontade de viver.

Incluir os idosos em atividades familiares e sociais, tentar manter uma agenda preenchida e, ao mesmo tempo, compreender os fatores que podem levar ao aparecimento de uma depressão é essencial para que se possa prevenir ou atenuar os seus sintomas e consequências.

Psicólogos
Escrito por

MundoPsicologos.pt

Deixe o seu comentário