A importância de dizer não

<strong>Artigo verificado</strong> por

Artigo verificado por Comité de MundoPsicologos

Dizer "não" é um ato educativo extremamente importante, Ajuda a criança a estabelecer os próprios limites, a aprender a lidar com a frustração e até a respeitar os outros

26 Nov 2018 · Leitura: min.
A importância de dizer não

É uma resposta difícil de dar às crianças, não só porque pode custar aos educadores mas também porque pode ter consequências complicadas de gerir. Nos dias de hoje, com tantas exigências a nível laboral e social, o facto de contrariar uma criança pode ter as mais diversas interpretações e, inevitavelmente, vai gerar uma reação na criança que pode ir contra qualquer ambição de descanso que se possa ter.

Pode acontecer muitas vezes dizer um sim apenas porque já se está cansado, porque não é um bom local para poder resolver uma birra ou uma discussão, ou, mais grave, porque já se tornou um hábito na relação com a criança.

Impor limites

Dizer não à criança não significa apenas contrariar, ou fazer o que se pensa estar certo numa determinada situação. Ao mesmo tempo que a criança ouve um não está a fazer um importante trabalho interno que lhe vai dar ferramentas úteis para o resto da sua vida:

·         Saber de uma forma cada vez mais precisa até onde é que pode ir, quais são os limites da sua liberdade e da dos outros. O facto de saber até onde pode ir nos seus pedidos também ajuda a criança a descobrir até onde poderá ceder. Subliminarmente está a ser dada uma lição sobre o respeito por si mesmo e pelos outros.

·         Confiança em quem trata dela: é imperativo para uma criança saber que existe alguém que se preocupa por ela e que toma decisões. Para uma criança pode ser avassalador imaginar que terá de tomar as decisões por si só. Tendo a segurança de que está a seguir por um bom caminho com a orientação de um adulto, a criança vai sentir-se mais confiante não só no ambiente como em si mesma.

·         Tolerância à frustração: saber como lidar com situações adversas, quais as melhores estratégias de negociação face a uma contrariedade e desenvolver a capacidade de resiliência são algumas das aquisições que podem advir de ouvir um “não” na altura certa.

·         Persistência: intimamente relacionada com a tolerância à frustração, a persistência também se ganha a partir da necessidade de se esforçar para atingir os seus objetivos, e de se melhorar constantemente.

no.jpg

Como dizer não?

Não é fácil dizer “não”. Existem, no entanto, três regras de ouro para que possa dizer não sem sentimentos de culpa e com a certeza de que, pouco a pouco, a criança vai começando a entender os seus limites, sendo que a convivência se torna cada vez mais fácil:

·         Firmeza: Ser consistente com o que se diz, com uma voz que transmita segurança.

·         Calma: Não mudar de ideias perante eventuais birras mas sem perder a calma. Por vezes pode ser muito útil respirar fundo. A paciência é fundamental em qualquer negociação.

·         Prática: Com o tempo verá que os seus “nãos” vão ser cada vez mais bem-sucedidos e eficazes.

Ainda assim, não podemos esquecer que a flexibilidade é igualmente importante e que existem situações em que ceder é também dar o exemplo.

Psicólogos
Escrito por

MundoPsicologos.pt

Deixe o seu comentário